Massacará

Igreja Batista Metropolitana – Congregação Massacará

“Todavia, lembro-me também do que pode dar-me esperança”.

Lamentações 3:21

 

 

COMO TUDO COMEÇOU:

 

O Evangelho chegou à aldeia dos Massacarás de forma inusitada.Por volta de 1990, um casal de cristãos Pedro e Daisy, que moravam em São Paulo, recebeu a direção do Senhor a partir de um sonho no qual Daisy ouvia a voz de um homem dizendo:“Eu quero que você pesque um Massacará”.

 

Ela foi ao dicionário para ver do que se tratava e viu que a palavra Massacará se referia a índio.O casal procurou um amigo, ligado á Funai que, depois de dois meses, lhes enviou um dossiê contendo todas as informações desta tribo localizada no interior da Bahia, próxima a Euclides da Cunha. Eles decidiram vir até a Bahia para conhecer os Massacarás e, quem sabe, pregar-lhes o Evangelho.

 

Em 20 de julho de 1991, o casal chegouàMassacará com o coração alegre e foram apresentados para o cacique Juvenal, que os convidou para entrar em sua “maloca”. Este ato mostrou que eles foram aceitos pelos índios que logo lhes ofereceu um tronco de árvore para sentar e disse:

 

“Todo mundo se esqueceu de nós. A Funai não liga para nós, a Prefeitura e os políticos só aparecem em época de eleição, o povo na cidade nos tratam com desdém, nossos filhos são discriminados e agredidos pelos filhos dos posseiros, enfim, ninguém se lembra de nós”.

 

O casal contou como Deus os haviam trazido até eles e que Deus amava aquela aldeia.Os primeiros índios se converteram, inclusive o Cacique Juvenal. Pedro e Daysi iniciam seu ministério evangelizando, discipulando e formando a pequena igreja que nascia naquela aldeia.

 

Como os índios eram muito carentes, vários amigos da área de saúde de São Paulo vinham em caravana para ajudar a atender os índios, não só de Massacará como nas aldeias vizinhas.Numa dessas viagens, o carro de Pedro capotou e o Senhor tomou para si sua querida esposa Daysi e mais um dentista da equipe. Foi um momento de muita dor e tristeza para toda a família, igreja e aldeia.Nosso querido irmão Pedro não conseguiu voltar mais à aldeia para ministrar e os irmãos de Massacarás ficaram alguns anos sem liderança sendo assistidos pelos próprios irmãos índios.

 

A chegada da IBAM

 

Temos na IBAM uma família que é de descendência de Euclides da Cunha e com parentesem Massacará.Quando o Pr. Abraão chegou à IBAM, em 2000, foi-lhe contada essa história e logo ele quis conhecer a aldeia.Após algum tempo, a IBAM adotou a Igreja Batista do Povo em Massacará como filha (congregação).

 

Atualmente, a Igreja Batista do Povo é pastoreada pelo Pr. Laureano Neto e tem crescido na graça e firmeza do evangelho. Reúne 35 irmãos fiéis ao Senhor e uma igreja que nasceu de um sonho que se tornou realidade pela obediência de seus servos, mas que deu frutos abundantes para a glória do Eterno.