História

 

INÍCIO

 

A ideia de organizar uma igreja no Imbuí nasceu casualmente de um desvio de rota, quando os pastores Jackson Day e Josué Mello Salgado, então pastores colegiados da Igreja Batista da Pituba, visitavam o bairro do Costa Azul à procura de um colégio para fundar a primeira congregação da Igreja Batista da Pituba. Isso aconteceu no primeiro semestre do ano de 1985. Numa manhã, os dois visitaram alguns colégios, mas não conseguindo êxito em seu empreendimento, tomaram “casualmente” o caminho da Avenida Paralela. Chegando ao Imbuí, circularam pelo bairro e logo se surpreenderam com o enorme desafio. Naquela ocasião, havia cerca de dez conjuntos e condomínios, com cerca de dez mil moradores. Descobriram, então, o Centro Educacional Giselle, colégio que, quando alugado, abrigou a congregação de outubro de 1985 a julho de 1988. Foram distribuídos convites nos blocos 1 a 6 do Parque Rio das Pedras e levado o assunto à igreja-mãe para aprovação. Naquele momento, o aluguel de uma sala e o pátio coberto do Giselle, somado às outras despesas da igreja, ultrapassava a receita mensal. No entanto, a visão daqueles irmãos os fez investir “pela fé” no promissor trabalho.

No domingo, dia 13 de outubro de 1985, às 19h30, iniciava-se o primeiro culto da Congregação no Imbuí. O pregador, Pastor Alberto Magno, então obreiro da Igreja Batista Central, em Feira de Santana, pregou desafiadora mensagem baseado em Apocalipse 3.14-22, a Carta à Igreja em Laodicéia. A congregação somava cerca de 90 pessoas, sendo que cerca de 40 eram visitantes.

Na divisão de responsabilidades da equipe pastoral da Igreja Batista da Pituba, coube ao pastor Jackson Day dirigir os primeiros meses de atividades da congregação, que aconteciam aos domingos à noite e às quintas-feiras à noite, na residência do casal Anacleto Pedro da Silva e Avany Araújo Silva, no Parque Rio das Pedras. Após três meses, os pastores Josué e Jackson passaram a se revezar na direção e pregação dos cultos até julho de 1986, quando o Pastor Jackson Day viajou com a família para os EUA para um período de um ano de férias. Com isso, outros irmãos passaram a ajudar na liderança da congregação, principalmente, Evaldo José Pereira Costa e José Carlos Teixeira Costa.

 

 

CAPELA

 

Em agosto de 1987, o Pastor Jackson retornava de férias e, simultaneamente, chegava o Pastor Newton Sales Figueira. No dia 16 de agosto, a primeira EBD aconteceu na congregação e o Pastor Newton tomava posse como membro da equipe pastoral da Igreja Batista da Pituba. Os três pastores davam assistência, revezando-se no trabalho, mas coube ao Pastor Newton a assistência maior. Em julho de 1988, o Colégio Giselle encerrou suas atividades e alugou as instalações para a Secretaria da Fazenda, fato que impediu a continuidade do trabalho no mesmo local. Apesar das várias investidas dos pastores às escolas, não foi obtido êxito para encontrar outro local. A Igreja Batista da Pituba adquiriu dois lotes contíguos de 1.160 m² cada, há cem metros de onde ficava o Colégio Giselle. Já havia consenso entre os líderes de que um dos lotes deveria ser destinado à congregação e que, no local, fosse construída uma capela. Com essas perspectivas, o Pastor Josué foi à congregação e sugeriu que os irmãos congregados ali participassem dos cultos junto com a igreja-mãe no Colégio São Paulo, no Itaigara, até a inauguração da capela. Disse ele então: “Os irmãos estão dando um passo para trás para darem dois para frente”.

Aqueles meses foram difíceis para o grupo, pois algumas pessoas se dispersaram, além do grande esforço que aqueles irmãos precisavam empreender para chegar até o local das reuniões. Era necessário, em alguns casos, tomar dois ônibus e o ponto ficava a cerca de um quilômetro do Colégio São Paulo. Os que permaneceram, mantiveram-se coesos e com olhos voltados para o futuro. Em 23 de agosto de 1988, foi adquirida uma capela com 96 m² da JUERP por Cz$ 1.288.612,00 (um milhão duzentos e oitenta e oito mil seiscentos e doze cruzados) e, no dia 4 de dezembro de 1988, foi inaugurada com um grande culto, quando foram realizados batismos e decisões ao lado de Cristo. O pregador foi o Pastor Isaías Andrade Lins Filho, da Igreja Batista dos Mares, em Salvador, e tivemos cerca de 200 pessoas presentes. Nesse tempo, o Pastor Jackson Day já não estava mais em Salvador, pois foi transferido para Brasília. Entretanto, enviou sua esposa, a irmã Doris Day, para representá-lo na ocasião.

O trabalho prosseguiu com um local próprio, o que trouxe um grande avanço. Porém, a igreja-mãe continuava no Colégio São Paulo de forma provisória, com todas as limitações óbvias, por isso, a partir de janeiro de 1989, surgiu uma pergunta na mente de muitos irmãos: deve a Igreja Batista da Pituba mudar para o Imbuí ou não? Certa tensão existiu até que a igreja decidiu em assembleia regular continuar no Colégio São Paulo, com o desafio de evangelização da Pituba, doar um dos lotes no Imbuí com a capela para a sua congregação e formar um grupo para estudar a organização da congregação em igreja. Com essa decisão, o Pastor Josué sentiu que deveria assumir o trabalho no Imbuí e, por isso, no dia 2 de abril de 1989, deixou a equipe pastoral da igreja-mãe e assumiu o trabalho, ficando o Pastor Newton com a liderança da igreja-mãe.

 

ORGANIZAÇÃO

 

Chovia torrencialmente durante toda a semana, mas a noite do dia 13 de maio de 1989 foi de céu limpo e estrelado. Naquela noite, foi organizada a Igreja Batista Metropolitana. No culto, contou com expressiva assistência, cerca de 250 pessoas, dentre essas estavam dez pastores. A igreja foi organizada com 60 membros e sua primeira diretoria ficou assim constituída: Moderador: Pastor Josué Mello Salgado, 1º Vice Moderador: Hélio Bastos de Souza, 2º Vice Moderador: Gesser Lopes Santos, 1ª Secretária: Luci Lopes Fiqueredo Rocha, 2ª Secretária: Maria Dalva Neves Teles, 1º Tesoureiro: Adauto Figueredo Rocha e 2º Tesoureiro: Luiz Carlos Soares da Silva. A Diretoria do Concílio ficou assim constituída: Presidente: Pastor Newton Sales Figueira, Secretário: Pastor Jonc Nunes, Examinador: Pastor Rogério Scheidegger Maia, Orador Oficial: Pastor Jackson Day, Entrega da Bíblia: Pastor Noel Sampaio Costa, Oração Consagratória: Pastor Ivaldo da Silva Carneiro, Leitura do Pacto das Igrejas Batistas: Pastor Francisco Davi Santos. Estavam presentes também expressiva representação da igreja-mãe, o Quarteto Efatá e o Conjunto Saltério da Primeira Igreja Batista de Vitória da Conquista que abrilhantaram a noite. Naquela ocasião, o Pastor Josué Mello Salgado tomava posse no pastorado titular da nova igreja.

Nesses três anos de organização, foram acrescentados ao quadro de membros 82 pessoas; a igreja possui hoje 129 membros e cerca de 50 congregados. Já foram realizados vários empreendimentos evangelísticos, principalmente Núcleos de Estudos Bíblicos nos Lares. Está em implantação o Ministério de Discipulado. A igreja tem participado do Plano Cooperativo da Convenção Batista Baiana e no sustento de Missões. Realizou o Retiro Espiritual IBAM 92 com cerca de 150 participantes no Hotel Fazendo Clube de Campo, em Monte Gordo, no Litoral Norte.

A IBAM, como também é conhecida, é uma igreja que tem sido marcada pelo calor humano, equilíbrio doutrinário prático e visão. Desejamos que o esforço de cada um cresça nessas virtudes para a glória de Deus.

 

Pastor Josué Mello Salgado, em 1992